Vereadores da Calha Norte e Santarém se reúnem para cobrar melhoria no transporte Santarém-Santana do Tapará

A empresa tem 20 dias para fazer adequações e melhorar o serviço.

0

Na última quinta-feira (10), um grupo de vereadores de Monte Alegre, Óbidos e Alenquer, estiveram reunidos com os vereadores de Santarém e representante da empresa Camila Transportes Navegação, onde foi debatido o serviço prestado pela empresa que faz a travessia de balsa no trajeto Santarém a Santana do Tapará.

A reunião foi uma proposta do vereador de Monte Alegre, Cabo Leonardo, mas que envolveu os vereadores da ASCANORTE, por se tratar de um serviço que atende não somente Monte Alegre, mas quase todos os municípios da Calha Norte, a travessia de balsa entre Santana do Tapará e Santarém, que vem deixando a desejar pelos usuários.

Os vereadores da Calha Norte foram recebidos pelo presidente da Câmara Municipal de Santarém, Emir Aguiar, juntamente com o vereador Rogélio Cebuliski, que é o presidente da Comissão de Transportes do Legislativo em Santarém, assim como demais vereadores santarenos.

Segundo o vereador Cabo Leonardo, foi apresentado por ele uma pauta de reivindicações para melhoria no serviço de transporte da empresa Camila Transporte. Os representantes da empresa Camila, diretor operacional Dário Pantoja e o economista José de Lima Pereira, pediram 20 dias de prazo para que a empresa possa estar se adequando as reivindicações. ‘De imediato afirmaram que substituirão as poltronas, colocando mais acolchoadas, a climatização, eles garantiram que vão aumentar o número de ventiladores e se não der resultado serão instalados arcondicionado”, disse Leonardo, ressaltando que “no contrato de concessão, a Camila não atende nem a metade do que rege no contrato vigente”, finalizou.

No próximo dia 31, os vereadores estarão se reunindo novamente em Santarém, para que possa estar discutindo o que a empresa pode melhorar e dar uma resposta pra sociedade de Monte Alegre e usuários dos municípios da Calha Norte.

Estiveram presente os vereadores de Monte Alegre, a presidente da Câmara municipal e da Associação das Câmaras da Calha Norte (ASCANORTE), France Vasconcelos, Cabo Leonardo, Valdomiro Pinto, Madson Pereira, Alex Diego, Aldenor Coutinho e Jair Paraná, assim como o presidente do Legislativo de Óbidos Nivaldo Aquino e o presidente da Câmara de Alenquer Luís Alberto Freire, o Betão, além de representantes do Sindicato Rural do Baixo Amazonas, FAEPA e Sindicato Rural de Santarém.

Camila Transporte – A empresa é detentora de um contrato assinado em 2008 com vigência de 20 anos, com direito exclusivo de somente ela fazer a travessia de veículo, máquinas pesadas, carros inflamáveis e passageiros no trecho Santarém a Santa do Tapará. A discussão com os legislativos foi por conta de reclamações acerca de alguns quesitos que não estão sendo cumpridos, dentre os 17 discriminados no acordo licitatório celebrado junto à Prefeitura de Santarém por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito (SMT).

O economista José de Lima Pereira, fez uma explanação por meio de números apresentando as despesas diversas e aos lucros da empresa. As informações mostradas são de que é feita 212 viagens por mês, gerando despesas diversas de combustível e pessoal. O lucro anual da empresa por ano gira em torno de mais de R$ 3 milhões. Ele pontuou que o reajuste de preços cobrados pela empresa, é feito anualmente e que há uma planilha na qual estão os itens definidores.

AS PAUTAS DE REIVINDICAÇÕES DO VEREADOR FORAM:

1 – Ausência de emissão de nota fiscal eletrônica;

2 – Falta de bebedouros em todos os convés;

3 – Refrigeração do convés intermediário;

4 – Ausência da transparência para o cálculo da tarifa da travessia;

5 – Falta de um quadro com os dizeres dos direitos e deveres dos usuários;

6 – Falta de quadro contendo os telefones de órgãos como Procon, Secretaria de Transporte e Capitania, em todos os convés;

7 – Ausência de enfermeiros, dado o grande fluxo de passageiros;

8 – Ausência de disponibilização do contrato de concessão no site da Prefeitura de Santarém;

9 – Ausência da Tabela de tarifa da travessia no site da prefeitura de Santarém e no site da empresa;

10 – Ausência de corredor de acesso entre os carros como área de fuga, em situação de incêndio;

11 – Ausência de bagajeiro ou guarda volume no convés principal;

12 – Ausência de enfermaria no convés principal;

13 – Tarifação sobre o transporte de tratores e implementos agrícolas;

14 – Cobrança de ônibus que não fazem linha pra Santarém, que os passageiros também tem que pagar as passagens;

15 – Melhoria da acessibilidade ao convés superior;

16 – Falta de local adequado para idosos, cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção;

17 – Limpeza da balsa por conta da infestação de aranhas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor, preencha seu nome auqi